Instituto TIM

Entenda o que são as famosas ondas gravitacionais

15/02/2016

Cientistas do mundo todo estão comemorando uma das maiores descobertas científicas dos últimos anos. Representantes do Laboratório LIGO, nos Estados Unidos, anunciaram no dia 11 de fevereiro que conseguiram detectar ondas gravitacionais. Mas o que são essas ondas e por que elas são tão importantes? Vamos explicar tudo a seguir para você ficar por dentro deste grande avanço na ciência!

O físico alemão Albert Einstein foi a primeira pessoa a sugerir que existiam as ondas gravitacionais, há cerca de 100 anos. A gente já falou por aqui de uma de suas mais famosas teorias, a Teoria da Relatividade Geral, que explica a gravidade como distorções no espaço-tempo – é como se o universo fosse formado por um grande tecido que pode se curvar com a presença de corpos celestes (planetas, estrelas, buracos negros, entre outros). A partir dessa teoria, Einstein também disse que quando dois corpos interagem, eles provocam ondas gravitacionais.

Quando a gente joga uma pedra na água, isso causa várias ondinhas ao redor de onde ela caiu, não é mesmo? As ondas gravitacionais se comportam dessa mesma maneira, causando ondulações no espaço-tempo (veja uma simulação no vídeo abaixo, a partir de 0:31). E, assim como as ondas da água, quanto mais distantes de sua origem, mais fracas elas vão se tornando. Como o universo tem distâncias gigantescas, as ondas que conseguem alcançar a Terra chegam aqui muito, mas muito fracas, bem menores do que um átomo! Por isso ninguém nunca havia conseguido comprovar a teoria de Einstein.

 

 

Até que em setembro do ano passado os dois observatórios do Laboratório LIGO detectaram ondas gravitacionais causadas pela fusão de dois buracos negros. Para você ter uma ideia da nossa distância até eles, esse fenômeno aconteceu há 1,3 bilhão de anos, e só agora essas ondas chegaram aqui. A energia liberada no segundo em que os buracos negros se chocaram foi tão grande, que foi 50 vezes maior do que a energia de todas as estrelas do universo juntas!

Os observatórios LIGO têm uma estrutura enorme para conseguir detectar ondas gravitacionais. Eles usam lasers e espelhos especiais que podem captar o minúsculo movimento causado por esse fenômeno. Mesmo assim os cientistas analisaram durante meses o resultado das primeiras ondas detectadas para ter certeza de que a teoria estava correta. Depois do anúncio oficial, o mundo da ciência ficou ansioso por todas as descobertas que podem ser feitas com a detecção e o estudo das ondas gravitacionais.

É que tudo o que sabemos sobre o universo até agora foi baseado no que é possível observar a partir de ondas eletromagnéticas, como a luz ou a radiação infravermelha. Com as ondas gravitacionais, os cientistas têm uma outra maneira de estudar o que não é visível no espaço: buracos negros, objetos distantes, estrelas de nêutrons… A ciência ganhou um novo olhar para entender o universo – e quem sabe até desvendar mais detalhes sobre a sua origem!

 

Escute como seriam as ondas gravitacionais detectadas se fossem traduzidas em sons.

 

Saiba mais:
Ciência Hoje
Jornal Nacional – Rede Globo
Estadão

Créditos:
– Foto em destaque: SXS
– Vídeo “Journey of a Gravitational Wave”: LIGO/SXS/R. Hurt and T. Pyle
– Vídeo “The Sound of Two Black Holes Colliding”: LIGO

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *